Revista Meridional

Até onde cresce a oliveira

A Europa nasceu no Mediterrâneo. A oliveira é a sua fronteira. Pode ler-se no Breviário Mediterrânico do escritor bósnio Pedrag  Matvejevitch. O nosso território referencial é o da milenar oliveira que, da Arménia, se expandiu de lés a lés, de Sul para Norte, por toda a bacia mediterrânica. Mas também o da figueira, da amendoeira, da alfarrobeira, do rosmaninho, do sal, das especiarias e dos perfumes.

No Mediterrâneo assistimos hoje a uma nova odisseia sem Ulisses, sem Ítaca, sem Penélope,  sem Telêmaco nem Argos. Uma odisseia  que transformou o mar de Homero num cemitério de almas abandonadas na escuridão. Entretanto, a norte, a Europa discute números, ergue muros e arame farpado. Mas lá está a ilha de Lesbos que deixou de ser terra de poetas para se tornar num campo de refugiados à espera de coisa nenhuma.

A diversidade de géneros, de sensibilidades e de pontos de vista da Meridional. Revista de Estudos do Mediterrâneo traduzem a ampla variedade de espécies de oliveiras: ensaios, crónicas, poesia,  um álbum temático de fotografia e recensões de livros de autores do Algarve.

Publicamos abaixo o índice e o link para o site da Meridional.